Em novo vídeo, Caravina fala sobre primeira morte no Estado em decorrência do Coronavírus e solicita novamente apoio da população para manter medidas restritivas

0
253
Reprodução
Em um novo vídeo publicado em suas redes sociais ontem, dia 31 de março, o  prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB), presidente da Assomasul voltou a convocar os bataguassuenses para que mantenham as medidas preventivas em enfrentamento ao novo Coronavírus (COVID-19).

Caravina comentou no audiovisual que Bataguassu até o momento teve 3 casos suspeitos da doença, sendo que um deles já foi descartado e que outros dois prosseguem em investigação.

O gestor destacou que o primeiro óbito registrado no Estado de Mato Grosso do Sul em decorrência da doença se deu na cidade de Batayporã, distante 128 quilômetros de Bataguassu, o que deixa todos em alerta.

Caravina informou também que na última reunião do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus (COVID-19), novas medidas restritivas foram instituídas como restrições aos bancos e a proibição de missas durante a pandemia. As normativas podem ser acessadas pelo link  https://www.bataguassu.ms.gov.br/paginas/coronavirus-bataguassu 

Confira o vídeo completo do prefeito de Bataguassu através do link https://bit.ly/2JtvfRf

“Olá amigos e amigas de Bataguassu. Hoje, dia 31 de março, terça-feira, quero passar o boletim da situação do Coronavírus em Bataguassu.

Continuamos com dois casos em investigação e um terceiro caso descartado. No Mato Grosso do Sul, foi registrado o primeiro óbito na cidade de Batayporã, o que nos deixa muito preocupados e mais atentos ainda.

Ontem [30 de março], tivemos uma reunião do Comitê de Crise onde foi definido que prosseguem as restrições contidas nos três decretos já publicados e nós determinamos mais algumas ações em relação as grandes empresas, instituições bancárias e também as igrejas, mantendo a proibição da realização de cultos e missas para evitar a aglomeração.

Entendemos que estamos no caminho certo. Bataguassu está com a situação controlada, não tem nenhum caso oficial, só esses casos suspeitos, mas precisamos nos manter vigilantes e continuar com as nossas restrições para evitar a concentração de pessoas.

Peço a cada um de vocês que permaneçam em suas casas, saindo somente em questões essenciais. 

Eu tenho certeza que se nós mantivermos essa posição, nós vamos passar por esse momento de crise.

Que Deus abençoe a todos!”. 

Comentários