Temporal causa 15 mortes na Baixada Santista

Entre os mortos estão um casal que foi soterrado em São Vicente e um bombeiro que atuava num resgate.

0
340
Werther Santana/Estadão Conteúdo

Quinze pessoas morreram na madrugada desta terça-feira (3) na Baixada Santista por conta das chuvas que atingem a região. Além das mortes, foram registrados alagamentos, deslizamentos de terra e quedas de barreiras nas estradas. O Corpo de Bombeiros diz que 43 pessoas estão desaparecidas.

Em 24h choveu mais de 100 mm em todas as nove cidades da Baixada Santista. Foram 300 mm no Guarujá, 222 milímetros em Santos e 187 mm em São Vicente. Segundo o Inmet, o normal esperado para o mês de março no Guarujá são 277 mm – ou seja, já choveu mais que o esperado para o mês na cidade.

Cerca de 200 estão desabrigadas em Guarujá, onde o prefeito Valter Suman decretou estado de emergência. A prefeitura de São Vicente decidiu decretar estado de calamidade pública.

Veja onde ocorreram as mortes:

  • 13 mortes em Guarujá
  • 1 morte em Santos
  • 1 morte em São Vicente

O governador João Doria fez uma postagem nas redes sociais sobre as chuvas na Baixada Santista. “Minha solidariedade aos moradores da Baixada Santista que sofrem com as fortes chuvas desde ontem. Lamentavelmente, até o momento, há 9 mortos confirmados. Temos 1 herói do Corpo de Bombeiros entre as vítimas. A Defesa Civil, Bombeiros e PM estão dando suporte às prefeituras”.

Guarujá

Segundo a Defesa Civil do Estado, foram registrados sete deslizamentos, com as situações mais críticas nos morros da Bela Vista (Morro do Macaco Molhado) e Morro Barreira. O Prefeito Valter Suman sobrevoou a área atingida e decretou estado de emergência.

Três pessoas morreram no Morro do Macaco Molhado. Uma mãe e um bebê, que estavam dentro de uma casa que desabou. Elas foram soterradas. Um bombeiro, que estavam auxiliando nas buscas, foi atingido por um novo deslizamento e também morreu. Duas pessoas também morreram na rua Uruguai, no Jardim Centenário, e uma mulher morreu no hospital após ser socorrida na Vila Baiana.

Cerca de 200 pessoas estão desabrigadas. Eles estão sendo assistidos nas unidades escolares. O Fundo Social de Solidariedade está recebendo doações de roupas, sapatos, cobertores e produtos de higiene pessoal.

Morro do Macaco, em Guarujá (SP), registra deslizamentos de terra — Foto: Solange Freitas/G1

São Vicente

Em São Vicente, a Defesa Civil registrou deslizamentos nos morros do Barbosas, Ilha Porchat e Parque Prainha. Um casal que estava saindo de casa foi arrastado pela chuva e está desaparecido. As equipes do Corpo de Bombeiros trabalham nas buscas. O prefeito da cidade, Pedro Gouvêa, decidiu decretar estado de calamidade pública.

Na Vila Valença, o chão do banheiro de uma clínica de repouso cedeu e um idoso está desaparecido. O local foi interditado. As famílias de sete idosos foram notificadas. Eles foram acolhidos pela equipe da Secretaria de Assistência Social (Seas) e encaminhados para abrigo municipal.

A equipe, composta por representantes da Defesa Civil e de secretarias de governo, trabalham desde a madrugada no atendimento às ocorrências. A cidade registra pontos de alagamentos nas regiões do Jóquei Clube e Cidade Náutica.

Veículo ficou preso no Morro do Pacheco, na entrada de Santos (SP) — Foto: Letícia Gomes/G1

Santos

O SAMU realizou, até o momento, sete atendimentos relacionados às chuvas, sendo que uma delas resultou na morte de uma mulher de 30 anos, vítima de deslizamento no Morro do Tetéu.

Outros três pacientes graves foram levados à Santa Casa, hospital de referência regional em ortopedia e traumatologia. Uma menina de 7 anos, do Morro São Bento, com múltiplos ferimentos, está internada na UTI pediátrica do hospital. Já a sua mãe, de 39 anos, teve alta após avaliação da equipe multiprofissional. Um homem de 43 anos, morador da Caneleira, também com múltiplos ferimentos, ficará internado no hospital.

O SAMU ainda levou para a UPA Central uma mulher, de 48 anos, moradora do Morro do Saboó, vítima de soterramento. Ela passou por avaliação médica, exames de raios-X e não foram encontradas fraturas. Com escoriações leves, teve alta no início da manhã. Outras duas mulheres, uma de 52 anos e outra de 73 anos, moradoras do Morro São Bento, também foram levadas para avaliação na UPA após ficarem desabrigadas. Elas não têm ferimentos.

Na cidade, diversos pontos de alagamentos foram registrados e o tráfego foi bloqueado em diferentes vias, com as avenidas Nossa Senhora de Fátima e Martins Fontes, na Zona Noroeste.

Todo o efetivo da Defesa Civil, além do Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e equipes de zeladoria estão mobilizados para atender ocorrências registradas na Cidade. Mais de 70 ocorrências já foram registradas até o momento. Os morros seguem em estado de atenção para deslizamentos.

Escolas

A Secretaria de Educação de Santos informou que várias unidades de ensino municipais encontram-se sem condições de acesso, principalmente, nos morros devido à forte chuva que atingiu a Cidade. A exceção é a UME Terezinha Calçada Bastos, no Morro São Bento, que está funcionando como ponto de acolhida para desabrigados.

A prefeitura disse que em algumas escolas, em outros pontos da Cidade – entre elas, a UME Martins Fontes – os pais estão deixando seus filhos em razão do receio de ficar em casa, por causa do risco de deslizamentos. No momento, os supervisores, juntamente com a direção das escolas, estão analisando as condições de funcionamento das unidades.

As escolas que estão com as aulas suspensas, até o presente momento, em função da dificuldade de acesso, são as UMES: Cyro de Athayde, morro Nova Cintra; Martins Fontes, morro da Penha; Samuel Leão de Moura, Areia Branca; Maria Luiza S. Ribeiro, Saboó; Hilda Rabaça, Chico de Paula; Nelson Toledo Piza, Saboó; Antônio Passos Sobrinho, Macuco; Maria Patrícia, Valongo; Oswaldo Justo, Chico de Paula; Noel Gomes Ferreira, Caruara; Judoca Ricardo Sampaio, Caruara, e Leonardo Nunes, Castelo.

Peruíbe

Em Peruíbe, 25 pessoas deixaram temporariamente suas casas e foram recebidas no Centro Comunitário do Caraminguava. Não houve ocorrências e não há áreas de risco. Algumas ruas ficaram alagadas, mas com as águas já estão escoando.

Cubatão

A Comissão Municipal de Defesa Civil (Comdec) de Cubatão informou que houve deslizamento de terra no Caminho dos Pilões, por conta das intensas chuvas. O trecho, próximo à encosta, não tem moradias.

A Comdec também registrou um deslizamento na Mantiqueira, perto da rodovia Cônego Domênico Rangoni. Os técnicos não conseguiram chegar ao local por conta da dificuldade de acesso. Não houve vítimas.

Ainda de acordo com a Comdec, foram registrados diversos pontos de alagamentos por todo o município durante a madrugada especialmente em bairros como Vila São José, Jardim Casqueiro, Vila Nova. Neste momento, a situação já está normalizada.

Defesa Civil

O Coordenador Estadual da Defesa Civil, Coronel Walter Nyakas Junior, está na região para se reunir com prefeitos e avaliar as primeiras necessidades.

A previsão para toda a terça-feira é de chuva moderada a forte em todo o litoral São Paulo, isso inclui toda a região da Baixada Santista devido a formação de uma área de baixa pressão no litoral de São Paulo e a circulação dos ventos nos altos níveis da atmosfera.

A CPFL Piratininga informou que registra interrupções pontuais de energia nas cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande e Cubatão na manhã desta terça-feira (3) em razão das chuvas na região da Baixada Santista. As equipes estão em campo para a manutenção da rede e a previsão é de que o restabelecimento total dos clientes afetados aconteça até o final da manhã desta terça-feira.

Chuvas no Sudeste

A ausência de variações de temperatura no Oceano Atlântico e o aquecimento global explicam as fortes chuvas que atingiram a região sudeste do Brasil no mês de fevereiro, segundo especialistas consultados pelo G1.

Já o começo de março as chuvas também seguem castigando a região. Quatro pessoas morreram no Rio de Janeiro e uma no Espírito Santo nesta segunda-feira (2).

Comentários