Número de imigrantes detidos na fronteira dos EUA cai quase 30%

Os Estados Unidos prenderam 94.897 imigrantes na fronteira do país com o México no mês passado; é uma queda em relação a maio

0
83
Sergio Flores/AFP

Os Estados Unidos prenderam 94.897 imigrantes na fronteira do país com o México em junho. A maior parte deles é da América Central, de acordo com a Agência de Proteção Alfandegária e Fronteiras (CBP).

É uma queda de 28,6% na comparação com o mês de maio, quando foram detidas cerca de 133 mil pessoas.

Sem revelar a identidade, um dirigente do CBP afirma que enxerga um alívio nos números, mas que ainda há uma crise humanitária na fronteira.

Segundo a fonte, o órgão tem entre 40% e 60% de seus funcionários nessa missão humanitária na fronteira com o México, especialmente nos setores de El Paso e do Vale do Rio Grande, ambos no estado do Texas.

Calor e fiscalização fizeram os números melhorarem

O calor desta época do ano na área da fronteira foi um dos fatores que, segundo a CBP, provocaram a queda no número de imigrantes presos pelos agentes americanos.

Outro elemento que contribuiu foi o trabalho do governo do México, que decidiu ampliar a fiscalização na fronteira com a Guatemala, país de onde sai um grande número de imigrantes rumo aos Estados Unidos, após um acordo com o governo de Donald Trump.

“Estamos muito otimistas e esperamos que isso se sustente enquanto o México seguir enviando recursos para sua fronteira sul”, afirmou o funcionário do governo americano.

O acordo entre México e EUA veio depois de Trump ameaçar taxar todas as exportações de produtos mexicanos ao país.

Para demovê-lo da ideia, o governo de Andrés Manuel López Obrador ofereceu ampliar a segurança na fronteira com a Guatemala e manter no território mexicano os imigrantes que pediram asilo aos EUA, mas que ainda aguardam a análise da solicitação.

Segundo o funcionário da CBP, 70% dos imigrantes que tentaram cruzar a fronteira eram de países da América Central. Mexicanos correspondem a 17% do total.

Além disso, o número de crianças que estavam sob custódia da CBP caiu de 2.500 para 200 de maio para junho. Isso ocorreu porque o Departamento de Saúde e Serviços Humanos recebeu dinheiro do Congresso no último mês, podendo acelerar o processo de acolhimento dos menores de idade em suas instalações, de acordo com o órgão.

Comentários